Arquivo da tag: café usos e costumes

Brasil é responsável por 34% do café mundial

Informações gerais sobre café

– 60% ou mais do café mundial é produzido por apenas 4 países: Brasil, Vietnam, Indonésia e Colômbia

– Brasil sozinho responde por 34% do café mundial

– Café é a segunda mercadoria mais comercializada no planeta, perdendo apenas para o petróleo

– Mais de 100 milhões de pessoas, em países em desenvolvimento, dependem do mercado de café para sobreviver

– São servidos, anualmente, mais de 400 bilhões de xícaras de café pelo mundo afora

– 65% do consumo do café mundial acontece no café da manhã

– Café é a segunda bebida mais consumida no mundo. Só perde para a água

Bacana né? Assista ao vídeo abaixo para mais detalhes.

Att
Equipe Coffee Master

 

Mineiros bebem café impróprio para consumo

Repórter Marcelo Ernesto

Fiscalização do Procon mostrou que 74 das 241 marcas analisadas em 2014 e 2015 tinham impurezas e que em 4,2% das amostras foi encontrada até uma substância cancerígena

91077695-1Trinta por cento das marcas de café fabricadas e comercializadas em Minas em 2014 e 2015 estavam impróprias para o consumo. É o que diz o relatório do Procon de Minas Gerais divulgado ontem. Foram encontrados elementos estranhos, impurezas, sedimentos, além de larvas e parasitas. Mais do que não recomendáveis para o consumo, parte delas ainda têm a substância ocratoxina A, considerada cancerígena. E o pior: a maior parte desses lotes identificados como inapropriados já foram consumidos pelos amantes da bebida. Ao todo, 74 marcas não estão aptas para serem utilizadas.

Foram analisadas 241 amostras de café torrado e moído de marcas diferentes entre dezembro de 2014 e junho de 2015. De acordo com o levantamento – o maior já realizado no estado –, a principal irregularidade encontrada foi a presença de impurezas como cascas, paus e outros elementos, totalizando 27,8% das amostras. Já sobre a presença da substância cancerígena, 4,2% das análises apresentaram a existência dela e também foram consideradas impróprias para serem consumidas.

Além das questões de saúde, o bolso dos consumidores também foi atingido. O levantamento detectou que em 6,04% o peso total do produto não era de café. Ou seja, o consumidor pagou por café, mas levou também outros produtos e substâncias dissolvidos na embalagem. Em 2,1% das amostras foram encontradas elementos estranhos como milho, por exemplo. Nesse caso, a adição é considerada adulteração.

Ainda sobre a toxina, as coletas realizadas nas regionais de Contagem, Passos e Caratinga foram as que apresentaram maior comprometimento da saúde dos consumidores, quando ingeridas. Nelas, a presença da ocratoxina A registrou índices alarmantes. Sendo 12,9% das amostras em Varginha; 4,2% em Passos; 4,5% em Caratinga e 20% em Contagem. Contudo, as regionais de Montes Claros, no Norte de Minas, Pouso Alegre e Varginha, no Sul do estado, são os locais onde a quantidade de impurezas foi maior.

Mesmo marcas de produtores que detêm o selo de qualidade emitido pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), apresentaram problema. Ao todo, 11% deles tiveram as amostras classificadas como improprias para serem servidas.

As 241 marcas analisadas totalizam mais de 80% das torrefações existentes em todo o estado de Minas Gerais.“É uma amostra bastante consistente, por isso os resultados dela são alarmantes e preocupantes”, considera o procurador. “Algumas das impropriedades detectadas não prejudicam necessariamente a saúde do consumidor, como é o caso das amostras que apresentaram a presença de paus e cascas, porque isso, na verdade, é fruto da própria produção. Mas nos casos da toxina há dano à saúde, nesses casos, até as multas têm dosimetrias diferentes”, afirma Fernando.

Em alta, no ano passado o consumo de café no Brasil registrou leve crescimento de 0,86% nos 12 meses compreendidos entre novembro de 2014 e outubro de 2015, totalizando 20,508 milhões de sacas de 60 kg. O consumo per capita em 2015 foi 4,90 kg/habitante/ano de café torrado e moído (6,12 kg de café verde em grão), o equivalente a 81 litros/habitante/ano. O levantamento é da Abic com base em dados da área de pesquisa da entidade.

A reportagem tentou contato com a Abic para repercutir a existência de produtores certificados com o selo de qualidade, mas que apresentaram contaminação, mas a assessoria não atendeu e nem respondeu aos recados. O mesmo ocorreu no Sindicato da Indústria de Café do Estado de Minas Gerais (Sindicafé-MG).

Fonte: Jornal Estado de Minas

Coffee of The Year 2016

afonso-lacerdaO produtor Afonso Donizete Lacerda, de Dores do Rio Preto, no Espírito Santo, é o grande vencedor do concurso Coffee of The Year 2016. Durante esses três dias de realização da quarta edição da Semana Internacional do Café (SIC), em Belo Horizonte, o público do evento participou de degustações às cegas de uma lista com os TOP 10 e ajudou a eleger o melhor café do Brasil. “Eu sempre acreditei na qualidade do café que produzo. Estou muito feliz”, declarou emocionado o campeão na modalidade arábica. Na conilon, o primeiro lugar ficou com outro capixaba, José Carlos de Azevedo, de Nova Venecia.

Um dos eventos mais aguardados da SIC, o Coffee of The Year reuniu amostras nacionais de café, enviadas por produtores de todo o país e provadas por classificadores nacionais e internacionais, por meio de uma parceria com o Instituto Federal Sul de Minas Gerais (IFSul de Minas) – campus Machado. Os 10 melhores foram selecionados para que os visitantes da SIC tivessem a oportunidade de prová-los e votar no seu preferido.

Para entrar nesse seleto ranking da universidade, os cafés indicados pelos produtores precisaram atingir uma classificação mínima de 80 pontos, em uma escala de 100, seguindo protocolo da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA, na sigla em inglês). A avaliação sensorial leva em conta os itens: aspecto, seca, cor, porcentagem de peneiras, tipo, teor de umidade, torração e qualidade. “O Coffee of TheYear é uma vitrine para o produtor, pois gera muito interesse pelo seu café e ainda mostra a qualidade da região. Também mostra uma tendência para o mercado”, destaca a editora de Conteúdo da Café Editora, Mariana Proença, uma das organizadoras da SIC 2016.

Confira abaixo o resultado do Coffee of The Year 2016:

– Arábica
1º – Afonso Donizete Lacerda (Sítio Pedra Menina) / Serra do Caparaó – Dores do Rio Preto (ES)
2º – Felipe Gonçalves Pacheco (Fazenda Santa Lúcia) / Cerrado Mineiro – Araxá (MG)
3º – Fábio Protazio de Abreu (Sítio Forquilha Café) / Serra do Caparaó – Espera Feliz (MG)

– Conilon
1º – José Carlos de Azevedo (Sítio Chapadinho) / Nova Venecia – Nova Venecia (ES)
2º – Edinilson Alves Dutra (Sítio Boa Vista) / Matas de Minas – Manhuaçu (MG)
3º – José Carlos de Azevedo (Sítio Raphalys) / Alto Rio Novo – Alto do Rio Novo (ES)

Sobre a Semana Internacional do Café 2016
A Semana Internacional do Café (SIC) 2016 é uma iniciativa do Sistema FAEMG, Café Editora, Sebrae e Governo de Minas, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Minas Gerais (Seapa). Reunirá, de 21 a 23 de setembro, no Expominas, em Belo Horizonte, toda a cadeia produtiva do setor cafeeiro nacional e internacional, em prol do crescimento social e economicamente sustentável do produto brasileiro. O encontro envolve cafeicultores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e apreciadores. A estimativa é de que essa quarta edição do evento gere em torno de R$ 27 milhões em negócios, valor 8% superior ao registrado no ano passado. São esperados 14 mil visitantes e 165 marcas expositoras. Durante a SIC, ainda é realizada a maior feira do segmento, o 11º Espaço Café Brasil.

Fonte: Campo Vivo portal

Manual de Métodos de Preparo de Café

ES_manualdocafe-2Uma cortesia da Lélia Bezzan aqui para o Coffee Master:

O Sebrae no ES lançou manual que apresenta técnicas de preparação de cafés especiais.
O Espírito Santo é o segundo maior produtor cafeeiro do Brasil. Além da quantidade de produção, o estado se destaca também pela qualidade do café, tanto o arábica quanto o conilon. Esse resultado é fruto de esforço, dedicação e qualificação dos produtores, além de um conjunto de tecnologia e boas práticas de produção.

O Manual Métodos de Preparo de Cafés foi elaborado por Lélia Bezzan e Paula Dulgheroff para atender a crescente demanda desse produto, que oferece técnicas variadas de preparo e consumo.

Com ele, o Sebrae no ES espera contribuir para que os consumidores de café saibam não apenas prepará-lo, mas também aprender a extrair seu melhor, apreciando os sabores e aromas que os cafés especiais do Espírito Santo podem proporcionar.

O download é totalmente gratuito e o arquivo é PDF. Clique aqui para baixar.

Aproveite! E você, quais os métodos já experimentou? Entre em contato conosco. Nossa experiência, somada ao seu potencial de trabalho, será a fórmula do sucesso do seu café, e da satisfação do seu cliente.

Sds.
Equipe Coffee Master

Fonte: SEBRAE

 

As vantagens e desvantagens dos métodos de preparo de café

Se você é brasileiro, provavelmente gosta de um bom café.

As formas de preparo, os aromas, os gostos, os utensílios usados na hora de consumir, os complementos, cada família carrega os seus através das gerações.

Os métodos são diferentes em cada país. No Brasil, há várias formas de preparar o café gourmet e, conforme o modo, algumas características da bebida são mais ou menos acentuadas.

imagesCafé Espresso

Água em torno de 90ºC é forçada a atravessar o pó de café gourmet com uma pressão de 9Kg durante cerca de 30 segundos, gerando uma bebida cremosa e aromática. O café espresso é considerado o método mais apropriado para apreciação de todas as nuances da bebida. Para um café gourmet espresso ser considerado ideal, ele deve ter:

• Creme marrom claro de 3 ou 4mm de espessura;
• Aroma forte e característico;
• Sabor “doce” e duradouro;
• Água a 90ºC e tempo de extração entre 25 e 30 segundos.

 

preparo_4_1Cafeteiras de Filtro ou Coador

O pó de café é acondicionado em um filtro, de papel ou de pano, com adição de água quente não fervente por cima. Este método é muito utilizado na cultura brasileira dando origem ao tradicional “cafezinho”.

 

preparo_1_1Cafeteira Italiana/Moka

O café gourmet feito na Moka é mais encorpado do que o feito em cafeteiras comuns que utilizam a filtragem do pó. O método de preparo é a percolação: a água é depositada na base da cafeteira, onde há uma válvula de pressão. Quando aquecida, a água entra em contato com o pó do café, que é impulsionado sob pressão para o topo da moka. Neste momento, se forma uma leve camada de creme marrom, parecido ao obtido no método de café espresso. É a forma mais utilizada para consumo de café gourmet na Europa.

 

preparo_2_1Prensa Francesa/French Press

Essa técnica extrai todo o sabor do café gourmet, enquanto as outras tendem a reduzi-lo. Aquecer a cafeteira e colocar o pó de café no seu interior; acrescentar água quente, mexendo, e deixar durante 5 minutos. Em seguida, o êmbolo é empurrado para baixo e separa as borras do líquido, que é servido diretamente da cafeteira.

 

preparo_3_1Café Turco

O café gourmet moído, açúcar e água são colocados, nesta ordem, num recipiente de latão ou cobre que tem um cabo comprido, o Ibrik. O Ibrik é levado ao fogo e o café é fervido. Este é o método que quebra a regra de “nunca ferver o café”, porém, como é fervido com açúcar, o amargo da fervura não afeta muito o gosto. Após servido, não se deve mexer o café para não misturar o pó que se acumulou no fundo da xícara.

 

Globinho 2Balão de Café/Globinho

A cafeteira de vácuo, consiste num balão de vidro que se enche, até o meio, de água. O pó de café é colocado no balão superior. O conjunto fica sobre uma lamparina com álcool e, quando a água está prestes a ferver, retira-se a lamparina. O café começa a entrar no balão inferior, através de um sifão existente entre os dois, e mistura-se com a água.

 

eco_3102Sachê

O padrão E.S.E. (Easy Serving Espresso) pode ser utilizado na grande maioria das máquinas de sachê para café espresso.  Não funcionam nas máquinas de sachê “sof-pod” estilo Senseo.  Os sachês de café espresso nada mais são do que o grão do café torrado, moído e compactado em uma dupla camada de papel filtro. Por estar embalado em um envelope de alumínio e ter a injeção do nitrogênio, tem o benefício de não sofrer ataques da luz evitando desta forma que o café gourmet sofra o processo de oxidação.

E você, quais os métodos já experimentou? Entre em contato conosco.

Nossa experiência, somada ao seu potencial de trabalho, será a fórmula do sucesso do seu café, e da satisfação do seu cliente.

Sds.
Equipe Coffee Master

fonte: Clube Café