Arquivo da tag: BUNN

Café Espresso com “s”. Porquê?

Em nosso mercado de cafés especiais e de alta qualidade, convencionou-se café espresso. É uma forma prática, talvez, de diferenciar o mercado de cafés comuns, enorme e popular, daquele outro mais sofisticado, que é onde nós da Coffee Master estamos inseridos.

1Espresso é uma palavra italiana que, em português, traduz-se como expresso. Foi na Itália que nasceu o café preparado dessa maneira, na hora, em uma máquina especial.

Isso não seria razão suficiente para importarmos também a grafia original. Quem defende o uso de “espresso” alega que a palavra portuguesa expresso provoca confusão, por dar a entender que o particípio irregular do verbo exprimir, onde nasceu esse adjetivo (e também substantivo), tem algo a ver com a mecânica do café expresso.

Acontece que, etimologicamente, tem mesmo, ainda que por vias meio tortas. Expresso é uma tradução literal possível de espresso e compartilha com ele um antepassado distante: o latim exprimere, que significava tanto “apertar com força, extrair” quanto “pronunciar, enunciar claramente”.

A história se complica um pouco porque dessa matriz latina o português tirou dois verbos distintos: espremer (no século XIV) e exprimir (no XV). Embora, como explica o Trésor de la Langue Française no verbete express, nunca tenha ficado estabelecido acima de qualquer dúvida se o espresso italiano nasceu com o sentido de “espremido, feito sob pressão” ou por analogia com a acepção (anglófila) do trem expresso, isto é, “rápido, direto ao ponto”, a grafia com xis tem sido adotada em francês e também aqui (em inglês, escreve-se espresso, à italiana).

Além de “enunciado de forma clara ou categórica”, expresso tem alguns outros sentidos consagrados que caem bem neste caso, como informa o Houaiss: “que é enviado rapidamente, sem delongas” (correspondência); “que vai do ponto de partida ao ponto de chegada sem parar” (trem). É nessa linhagem semântica que o mesmo dicionário passou recentemente – com atraso em relação ao Dicionário de Usos de Francisco S. Borba, mas à frente de boa parte dos concorrentes, que ainda ignoram tal acepção – a registrar o café “que é preparado, no momento em que o freguês o pede, numa máquina especial”.

Pedir um café na Itália (un caffè), assim como em vários países da Europa, é entendido como pedir um espresso.

Em Portugal, quando se pede um café é-se servido com um café espresso, termo que não é usado correntemente. Em Lisboa, o termo tradicional para designar o espresso é bica, um acrônimo que 4significa “Beber Isto Com Açúcar”. O café espresso quando começou a ser comercializado em Lisboa, no café “A Brasileira”, não agradou aos lisboetas, pelo que foi criado o slogan. O termo teve tanto sucesso que acabou por ficar até aos nosso dias. Por outro lado, no Porto é costume pedir um cimbalino, como referência a La Cimbali, uma popular marca de máquinas de fazer espressos.

Para nós da Coffee Master, a adoção do espresso com “s” nos parece, portanto, adequada e prática.

Sds,
Equipe Coffe Master

fonte: diversos artigos da internet, mercado brasileiro de cafés especiais.

 

 

Máquinas profissionais e automáticas para café espresso: Comprar ou alugar?

São dois os públicos para as máquinas de café profissionais:

  • O comerciante, revendedor, que vai comercializar cafés em seu balcão;
  • O escritório, seja de advocacia, clínica médica, a concessionária de veículos, o laboratório de análises clínicas, etc., são empresas ou negócios que desejam propiciar ao seu cliente um mimo, um conforto, em seu salão de vendas ou recepção. E um bom café é uma excelente opção, com ampla aceitação e muito eficaz nesse sentido.

E ambos os casos, a decisão pela compra ou locação da sua nova máquina profissional para café espresso deve necessariamente passar por cálculos de custo e imobilização de capital.

Defina, dentro da sua realidade econômico-financeira qual a melhor opção.

f50_330x250_large-220x220Pense estrategicamente. Imobilizar capital em um equipamento (comprar a máquina) sempre vale a pena, para negócios ou empresas que possuem fluxo de caixa folgado. Você investe agora, e amortiza ao longo de um período pre-definido o retorno desse investimento + o lucro. Não se esqueça de considerar eventuais despesas para manutenção e assistência técnica nesta conta. Após algum tempo, seu investimento terá retornado, com juros, e toda a receita proveniente desse equipamento passa a ser líquida.

imagesEssa porém não é a realidade da maior parte das empresas. Capital próprio é raro, é caro, e muitas vezes você pode escolher outras formas de investimento que produzam retorno mais rápido ou robusto, aplicando seu capital em outros produtos para revenda.

A locação ocupa esse espaço, e fornece um custo mensal justo, que abrange inclusive eventuais necessidades de reparos e manutenção de seu equipamento – dependendo qual o plano de locação você contratar. Assim você produz fluxo de caixa, sem imobilizar capital, e estará sempre com sua máquina para café espresso atual e mantida pelo fabricante.

E então? Qual o seu caso?

Entre em contato conosco.

Nossa experiência, somada ao seu potencial de trabalho, será a fórmula do sucesso do seu café, e da satisfação do seu cliente.

Sds.
Equipe Coffee Master

 

Qual a máquina para café espresso mais indicada para a sua necessidade?

São dois os públicos para as máquinas de café profissionais:

  • O comerciante, revendedor, que vai comercializar cafés em seu balcão;
  • O escritório, seja de advocacia, clínica médica, a concessionária de veículos, o laboratório de análises clínicas, etc., são empresas ou negócios que desejam propiciar ao seu cliente um mimo, um conforto, em seu salão de vendas ou recepção. E um bom café é uma excelente opção, com ampla aceitação e muito eficaz nesse sentido.

Para ambos, a beleza do café é não ser uma simples bebida, feita de apenas um jeito. Dependendo de como ele é “passado”, a pressão exercida, a qualidade do grão, a temperatura da água, o maquinário que você usa, cada detalhe impacta diretamente, produzindo uma bebida sempre única e exclusiva.

Timagesoda essa gama de variáveis faz com que escolher corretamente a sua máquina profissional para café deva ser bem técnica, sempre voltada para seus usos e público.
Para começar a se decidir por qual máquina de café espresso adquirir, pondere:

  1. Quantidade de doses: Defina uma expectativa de número de doses diárias de café que você pretende servir. A partir deste número, a escolha de sua nova máquina para café espresso começa a ser dimensionada. Além disso, é um dado importante para sua composição de custos e eventual formação do preço de venda;
  2. Tipo de grão: Seu público preza por uma linha específica de sabor e corpo? Você vai oferecer multiplicidade de estilos?
  3. Barista: Qual a formação profissional do seu pessoal de atendimento? Quais os tipos de bebidas eles estão aptos a preparar? Você pretende investir na formação profissional de seus funcionários?
  4. Espaço disponível: Sua área de atendimento comporta uma grande máquina? Suas instalações elétricas estão dimensionadas de acordo? Ou uma pequena e eficiente máquina é a pedida certa para o seu local?

Com estes 4 itens pensados, entre em contato conosco.

cimbaliNossa experiência, somada ao seu potencial de trabalho, será a fórmula do sucesso do seu café.

Sds.
Equipe Coffee Master

 

 

 

Máquinas para café da marca BUNN

Seleção de produtos da fábrica – BUNN

 


Disponível para venda. Consulte-nos.