As vantagens e desvantagens dos métodos de preparo de café

Se você é brasileiro, provavelmente gosta de um bom café.

As formas de preparo, os aromas, os gostos, os utensílios usados na hora de consumir, os complementos, cada família carrega os seus através das gerações.

Os métodos são diferentes em cada país. No Brasil, há várias formas de preparar o café gourmet e, conforme o modo, algumas características da bebida são mais ou menos acentuadas.

imagesCafé Espresso

Água em torno de 90ºC é forçada a atravessar o pó de café gourmet com uma pressão de 9Kg durante cerca de 30 segundos, gerando uma bebida cremosa e aromática. O café espresso é considerado o método mais apropriado para apreciação de todas as nuances da bebida. Para um café gourmet espresso ser considerado ideal, ele deve ter:

• Creme marrom claro de 3 ou 4mm de espessura;
• Aroma forte e característico;
• Sabor “doce” e duradouro;
• Água a 90ºC e tempo de extração entre 25 e 30 segundos.

 

preparo_4_1Cafeteiras de Filtro ou Coador

O pó de café é acondicionado em um filtro, de papel ou de pano, com adição de água quente não fervente por cima. Este método é muito utilizado na cultura brasileira dando origem ao tradicional “cafezinho”.

 

preparo_1_1Cafeteira Italiana/Moka

O café gourmet feito na Moka é mais encorpado do que o feito em cafeteiras comuns que utilizam a filtragem do pó. O método de preparo é a percolação: a água é depositada na base da cafeteira, onde há uma válvula de pressão. Quando aquecida, a água entra em contato com o pó do café, que é impulsionado sob pressão para o topo da moka. Neste momento, se forma uma leve camada de creme marrom, parecido ao obtido no método de café espresso. É a forma mais utilizada para consumo de café gourmet na Europa.

 

preparo_2_1Prensa Francesa/French Press

Essa técnica extrai todo o sabor do café gourmet, enquanto as outras tendem a reduzi-lo. Aquecer a cafeteira e colocar o pó de café no seu interior; acrescentar água quente, mexendo, e deixar durante 5 minutos. Em seguida, o êmbolo é empurrado para baixo e separa as borras do líquido, que é servido diretamente da cafeteira.

 

preparo_3_1Café Turco

O café gourmet moído, açúcar e água são colocados, nesta ordem, num recipiente de latão ou cobre que tem um cabo comprido, o Ibrik. O Ibrik é levado ao fogo e o café é fervido. Este é o método que quebra a regra de “nunca ferver o café”, porém, como é fervido com açúcar, o amargo da fervura não afeta muito o gosto. Após servido, não se deve mexer o café para não misturar o pó que se acumulou no fundo da xícara.

 

Globinho 2Balão de Café/Globinho

A cafeteira de vácuo, consiste num balão de vidro que se enche, até o meio, de água. O pó de café é colocado no balão superior. O conjunto fica sobre uma lamparina com álcool e, quando a água está prestes a ferver, retira-se a lamparina. O café começa a entrar no balão inferior, através de um sifão existente entre os dois, e mistura-se com a água.

 

eco_3102Sachê

O padrão E.S.E. (Easy Serving Espresso) pode ser utilizado na grande maioria das máquinas de sachê para café espresso.  Não funcionam nas máquinas de sachê “sof-pod” estilo Senseo.  Os sachês de café espresso nada mais são do que o grão do café torrado, moído e compactado em uma dupla camada de papel filtro. Por estar embalado em um envelope de alumínio e ter a injeção do nitrogênio, tem o benefício de não sofrer ataques da luz evitando desta forma que o café gourmet sofra o processo de oxidação.

E você, quais os métodos já experimentou? Entre em contato conosco.

Nossa experiência, somada ao seu potencial de trabalho, será a fórmula do sucesso do seu café, e da satisfação do seu cliente.

Sds.
Equipe Coffee Master

fonte: Clube Café

Deixe um comentário